18.7.11

A fonte da juventude

Há dois anos atrás conheci o ensinamento dos ritos tibetanos e desde então incluo em minha rotina diária os 5 exercícios!
Hoje criei este post para você também conhecer, e se quiser, praticar e aprimorar sua mente e corpo. Aproveite e Sucesso Absoluto!


"A maioria dos ocidentais acredita que nosso corpo deve envelhecer e se deteriorar porque essa é uma lei da natureza. Os lamas olham para dentro de si próprio e sabem que isso não passa de uma ilusão criada pelo próprio homem." (Peter Kelder)

Temos sete vórtices de energia, que são como centro as sete glândulas endócrinas: 1) glândulas reprodutivas; 2) pâncreas; 3) glândulas suprarenais; 4) timo; 5) tireóide; 6) glândula pineal e 7) glândula pituitária.
Esses centros de energia giram em alta velocidade, quando todos estão girando velozmente e dentro de um mesmo ritmo, o corpo encontra-se em perfeita saúde. Quando a velocidade de um ou mais deles começa a diminuir, tem início o processo de envelhecimento e deterioração física.
Existem cinco exercícios simples para deixar todos os vórtices em harmonia, com perfeita velocidade e ritmo.
No Tibet essa prática é comum e foi feita a milênios pelos lamas (título dado, no budismo tibetano, a um professor de darma, que possui conhecimentos avançados e nível elevado de realização espiritual). 
Esses exercícios não são uma ginástica. Os lamas os chamam de "rito".

Primeiro Rito

O primeiro rito é muito simples. As crianças costumam fazê-lo quando brincam.
Em pé, ereto, com os braços estendidos para os lados, na horizontal. Gire de um lado a outro até ficar um pouco tonto. Lembre-se gire partindo da esquerda para a direita, no sentido horário.
Respiração: A cada volta intercale inspirando em uma e expirando na outra, até completar as repetições.



Segundo Rito

Fique deitado de costas no chão, sobre um tapete ou qualquer outro forro macio. Estenda os braços ao longo do corpo e vire as palmas das mãos para o chão, mantendo os dedos fechados. Então, erga a cabeça do chão, encostando o queixo no peito. Ao mesmo tempo, vá levantando as pernas, com os joelhos retos, até ficarem na vertical. Vagarosamente abaixe a cabeça e pernas, mantendo os joelhos firmes, até voltar à posição inicial. Deixe os músculos relaxarem e depois repita o rito.
Respiração: Inspire profundamente quando estiver levantando as pernas e a cabeça, e exale ao descê-las. (inspire e exale sempre pelo nariz.)





Terceiro Rito

Ajoelhe-se no chão com o corpo ereto e os braços estendidos paralelamente ao corpo. As palmas das mãos devem ficar encostadas na lateral das coxas. Incline a cabeça para a frente, até o queixo tocar o peito. Depois, atire a cabeça para trás, o máximo possível e, ao mesmo tempo, incline-se para trás, arqueando o corpo. Nesse movimento você se escorará nas mãos que se apóiam nas coxas. Feito isso, volte à posição original e comece de novo o rito.
Respiração: Inspire profundamente quando arquear a espinha e exale ao voltar à posição ereta








Quarto Rito

Sente-se com as pernas estendidas para a frente, deixando uma distância de uns quarenta centímetros entre os pés. Mantendo o corpo ereto, coloque as palmas das mãos no chão, voltadas para frente, ao lado das nádegas. Incline a cabeça, fazendo o queixo tocar o peito. Em seguida, incline a cabeça para trás o máximo possível. Ao mesmo tempo, erga o corpo de modo que os joelhos dobrem enquanto os braços permanecem retos. O tronco e as coxas deverão ficar retos, horizontalmente em relação ao chão; os braços e as pernas estarão em posição perpendicular ao chão. Então, tencione todos os músculos do corpo. Por fim, relaxe ao voltar à posição inicial.
Respiração: Inspire profundamente ao elevar o corpo, segure a respiração durante a tensão dos músculos e exale completamente enquanto volta à posição inicial.



Quinto Rito

Deite-se de bruços no chão. Erga o corpo, apoiando-se nas palmas das mãos e dedos dos pés, que deverão ficar flexionados. Durante todo o rito mantenha uma distância de cerca de 50 centímetros entre os pés e entre as mãos.
Mantendo pernas e braços retos, arqueie a espinha e leve a cabeça para trás o máximo possível. Depois, dobrando-se nos quadris, erga o corpo até ele ficar como um "V" invertido. Ao mesmo tempo, encoste o queixo no peito. Volte à posição inicial e repita.
Respiração: Inspire ao erguer o corpo e exale quando abaixar.

Quantas vezes devo praticar cada rito?

Na primeira semana pratique cada rito com três repetições apenas. Depois, de semana em semana, vá aumentando as repetições de duas em duas, até estar fazendo cada rito 21 vezes por dia.
Se for difícil repetir o primeiro rito, o de girar, tantas vezes quantas você faz os outros, não se preocupe. Dê as voltas que puder sem ficar muito tonto. Com o tempo você atingirá as 21 vezes.
Existem pessoas que simplesmente não conseguem girar. Aconselho a esquecer o primeiro rito e fazer os outros durante cerca de seis meses até tentar de novo (você pode aplicar este método à qualquer rito que você tenha dificuldade.).

Imagens e trechos tirados do livro: A Fonte da Juventude (Peter Kelder).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...